PASSWORD RESET

O número de leitores está em crescimento e aumenta cada vez mais em Portugal

Uma das questões abordadas pela jornalista Maria Anabela Silva do Jornal Leiria em uma de suas entrevista foi o fato do público português infantil e jovem não gostar de praticar o ato de ler.

De acordo com suas próprias palavras “a experiência mostra que há mais pessoas e mais miúdos a ler. Agora, o modo de ler alterou-se bastante. Se cingirmos o ler ao livro em papel e ao que isso representa – o ficar isolado a ler, ter aquele objecto comigo e não o misturar com outros gadgets – e não tomarmos como leitura o que vem nas redes sociais e nas informações que retiro do computador e dos smartphones para estudar, então lê-se menos. Vivemos numa sociedade do entretenimento, na qual os jovens tendem a valorizar aquilo que aparece como muito próprio do tempo deles e que é mais tribal, ou seja, o que os amigos fazem, mas também aquilo que vêem os pais fazer.”

Eduardo Boavida, responsável pelo editorial da Bertrand, informou que os portugueses em média compram 1,3 livros por ano e também afirmou que somente em 2016 na Feira do livro de Lisboa foram vendidos aproximadamente 400.500 livros. Além disso, a editora Gradiva informou que somente no início de 2017 foram vendidos 93.000 exemplares de “Vaticanum”, livro de José Rodrigues dos Santos. Ademais, também foi afirmado que a obra foi publicada em mais de 20 línguas e vendeu ao todo mais de 3 milhões de exemplares no mundo todo.

Em uma pesquisa realizada por uma empresa especializada em pesquisa de mercado, Gfk, apontou que as vendas de livros em Portugal no ano de 2015 chegou a atingir o número de 12,5 milhões de unidades. Veja abaixo gráficos apresentados pela Gfk sobre a pesquisa referente:

 

Sendo assim, perante todos os dados, Maria Anabela Silva faz uma interessante reflexão. “O digital é uma coisa fantástica. A informação a que temos acesso e o modo rápido como podemos lá chegar… É um mundo fabuloso, ao qual acedemos para as coisas mais práticas da vida, desde a informação sobre um medicamento, o modo de pentear o cabelo ou uma planta, a consulta de artigo científico, de um livro de ficção ou de livros para brincar com as nossas crianças. Isto é amigo da leitura, mas também pode ser inimigo.”

país que menos prestigia seus professores

Leave A Reply

Your email address will not be published.